CB650F: motor, preço, consumo, desempenho, detalhes – Notícias Automotivas – OPINIÃO E NOTÍCIA

Autor(a):

A Honda CB650F é uma motocicleta naked fabricada entre 2014 e 2019, sendo mais conhecida como sucessora da icônica Honda CB600F Hornet e antecessora da atual Honda CB650R.

O modelo da Honda teve um impacto enorme no mercado, visto ter colocado a marca num segmento que antes ela ignorava ao usar a Hornet na mesma faixa de preço.

Tanto para a marca no Brasil quanto para os clientes, a chegada da CB650F não foi totalmente satisfatória, dado que a Hornet se vendia pela performance, afinal, era a versão naked da CBR 600F.

No caso da CB650F, apesar de o motor ser 50 cm³ acima da antecessora, tinha somente 87 cavalos contra 102 cavalos da Hornet, que teve no Brasil seu maior mercado no mundo!

Assim, a missão da nova moto da Honda era quase impossível diante do sucesso do “foguete” fora da curva que a marca japonesa colocou no país. Ainda assim, manteve-se firme.

CB650F – Novidades

Moto Honda CB650F

Com preço sugerido de R$ 28.990, a Honda CB650F chegou ao mercado nacional no final de 2013 como uma readequação da marca no mercado de motos de média cilindrada.

O motivo é que na faixa de 600 a 650 cilindradas, as motocicletas naked tinham em média 82 cavalos, incluindo ainda players como Ducati 796, BMW F 800 R, Yamaha XJ6 e outras.

Já a Honda orbitava acima dos 100 cavalos com a Hornet e passou a estar na mesma faixa de potência do mercado, com a CB650F.

Com quatro cilindros, a CB650F chegou com visual moderno, chamando atenção por seu conjunto ótico traseiro em LED, apesar do farol dianteiro simples.

Também tinha painel com dois displays digitais de aspecto simples, tendo ainda uma carenagem com extensões laterais verticais que recobrem o enorme radiador de água.

O escape em aço inox tinha quatro canos bem visíveis no motor e silencioso curto, com saída lateral estilizada.

Com quadro de duplo berço em aço, a CB650F tinha ainda suspensão traseira monoamortecida com balança estilizada e freios a discos ventiladas em estilo pétala.

Na frente, dois discos de 320 mm e um disco traseiro de 240 mm, mas o sistema ABS era opcional, com o preço sugerido desta de R$ 31.190.

Tendo banco duplo em dois níveis, rabeta curta e para-lama estendido, a CB650F tinha rodas de liga leve aro 17 polegadas com pneus 120/70 R17 na frente e 180/55 R17 atrás.

Com pinturas chamativas, especialmente a branca com faixas azuis e vermelhas, a naked da Honda destacava as rodas em cor dourada.

Além das versões sem e com ABS, a CB650F  tinha ainda a versão Team HRC com pintura exclusiva e preço de R$ 31.690.

A moto pesava 192 kg sem ABS e 194 kg com o sistema antitravamento dos freios, tendo ainda tanque de 17,3 litros, que lhe conferia boa autonomia.

Seu motor quadricilíndrico de quatro tempos e injeção eletrônica, tinha catalisador e duplo comando de válvulas no cabeçote com 16V.

Ele entregava 87 cavalos a 11.000 rpm e 6,4 kgfm a 8.000 rpm, tendo ainda câmbio de seis marchas com embreagem deslizante, impedido o travamento da roda em reduções elevadas.

Sem controle de tração ou modos de condução, a CB650F  era uma moto focada no conforto e no visual, diferente da Hornet, mais focada na performance.

Também era mais barata que a anterior e mais adequada para pilotagem de quem não tinha experiência em motos de desempenho, como era a antiga CB 600F.

Uma atualização em 2019, introduziu farol full LED, luzes diurnas em LED, piscas em LED e carenagens laterais mais curtas, assim como nova máscara frontal.

Já o motor de quatro cilindros teve uma reprogramação para o Promot 4 e passou a ter 88,5 cavalos e 6,22 kgfm.

CB650F – Detalhes

A Honda CB650F é uma naked que surgiu com visual esportivo e atraente, com farol de lente verticalizada e projetor simples, envolvido por uma carenagem nas cores da moto.

O farol tinha ainda máscara negra, com o painel logo acima, onde o cluster tem dois displays digitais com conta-giros luminoso e velocímetro digital, assim como nível de combustível e computador de bordo.

A chave era física e posicionada junto ao painel, tendo ainda guidão escurecido com comandos de farol, piscas, lampejador de farol, buzina, corta-corrente, partida e acelerador.

Com manoplas ergonômicas e manetes de alumínio, com retrovisores aerodinâmicos e ajustáveis, bem como reservatório de fluido de freio dianteiro.

O tanque de combustível tem 17,3 litros, tendo tampa aeronáutica e carenagens laterais pronunciadas em “Z”, envolvendo as laterais do radiador de água.

Tendo quadro de duplo berço em aço, a CB650F tem banco em dois níveis com o do piloto envolvente, com alça de couro para o garupa.

Com rabeta curta, que tinha lanterna retangular em LED, a CB650F tem para-lama traseiro prolongado num suporte horizontal e com piscas destacados, assim como refletor, iluminação da placa e o suporte da placa estão presentes.

O quadro tem suporte simples atrás para sustentar os assentos e também as pedaleiras do passageiro.

A roda de liga leve aro 17 polegadas tem para-lama envolvente internamente, além de pneu 180/55 R17.

O disco de freio em forma de pétala tem 240 mm com sistema ABS opcional, bem como coroa, corrente e pinhão com proteção na parte superior.

Os pedais do piloto são presos por suporte de alumínio e o motor de quatro cilindros tinha acabamento em cinza-chumbo.

No cabeçote, saem quatro canos de aço inox com configuração 4 em 1, tendo silencioso lateral com escape fluido.

Já a roda dianteira tinha roda de liga leve aro 17 polegadas dourada, assim como a traseira, tendo pneus 120/70 R17.

Os dois discos de freio ventilados com 320 mm, tendo pinças de duplo pistão, com ou sem ABS.

A suspensão dianteira tem bengalas convencionais de cor preta e barras internas em acabamento preto.

Em 2019, a CB650F recebeu modificações visuais e mecânicas, ganhando farol dianteiro full LED e luzes diurnas em LED.

A base do painel ganhou um visual novo, mas o cluster com dois displays continuou o mesmo.

Outra mudança foi a introdução de novas carenagens laterais, que ficaram mais curtas e aerodinâmicas, porém, expondo o radiador.

O silencioso do escape ficou mais pronunciado, mas ainda se manteve curto em relação às motos comuns.

Essa atualização durou somente dois anos até a chegada da nova geração dessa moto, chamada Honda CB650R.

CB650F – Versões

CB650F – Equipamentos

Honda CB650F – Motor de 650 cilindradas e câmbio de seis marchas, mais freios a disco dianteiros duplos e  ventilados com 320 mm, freio traseiro ventilado de 240 mm, painel digital, lanterna em LED e banco duplo com alça para o garupa.

Rodas de liga leve aro 17 polegadas, pneus 120/70 R17 na frente e 180/55 R17 atrás, suspensão traseira monoamortecida, tampa do tanque aeronáutica, escape esportivo 4×1, computador de bordo, farol simples e piscas claros.

Após 2019 – Farol full LED, piscas em LED, luzes diurnas em LED, carenagens menores e motor mais potente.

Honda CB650F ABS – Itens acima, freios com sistema ABS.

Honda CB650F ABS Team HRC – Itens acima, mais grafismo e pintura especial da Team HRC.

CB650F – Preços

Qual o valor da 650F 2022?

CB650F – Motor

A CB650F tem motor de quatro cilindros em linha com quatro tempos e refrigeração a água. Seu propulsor tem duplo comando de válvulas no cabeçote, tendo ainda quatro válvulas por cilindro.

Com injeção eletrônica multiponto, o quadricilíndrico tem 649 cm³ e entrega 87 cavalos a 11.000 rpm e 6,4 kgfm a 8.000 rpm.

Ele tem diâmetro x curso do pistão de 67 mm x 46 mm, além de taxa de compressão de 11,4:1, tendo bancada de cilindros inclinada 30 graus.

Tendo partida elétrica e ignição eletrônica, o propulsor trabalha com câmbio de seis velocidades e embreagem deslizante multidisco banhada em óleo.

Esse motor moderno entrega boa força em baixa e alta rotação, garantindo à CB650F uma condição de rua e estrada muito boa.

Ele é maior em volume que o motor da Hornet, mas é bem mais fraco, ainda que proveja um desempenho bom para uma moto dessa categoria.

Em 2019, a CB650F teve a programação do motor modificada, elevando a potência para 88,5 cavalos e o torque caindo para 6,22 kgfm, obtidos nas mesmas rotações anteriores.

A mudança foi feita para atender ao Promot 4 – Programa de Controle da Poluição do Ar por Motociclos e Veículos Similares no Brasil.

CB650F – Desempenho e consumo

imagem27-06-2022-07-06-07

A CB650F vai de 0 a 100 km/h em 3,7 segundos, sendo uma moto bastante ágil e equilibrada, tendo velocidade final de 200 km/h.

De 0 a 160 km/h, por exemplo, ela precisa de 7,9 segundos e isso a torna uma moto muito rápida.

Já o consumo fica na ordem de 19 km/l de média, podendo fazer na cidade em torno de 15 km/l e 23,5 km/l na estrada.

Com tanque de 17,3 litros, a CB650F consegue alcançar 406 km na estrada e quase 260 km na cidade, teoricamente.

Para seu porte e peso, a naked da Honda tem um desempenho agradável e consumo adequado à proposta.

A suspensão tinha balança de liga leve com desenho estilizado e mola helicoidal com amortecedor ajustável em pré-carga.

Com novos grafismos e cores, a Honda CB650F teve a programação do motor alterada para ficar um pouco mais potente.

CB650F – Concorrentes

Yamaha XJ6 N

A Honda CB650F tinha uma rival direta, a Yamaha XJ6 N, que na época tinha motor de quatro cilindros em linha com quatro tempos, mais refrigeração líquida e duplo comando no cabeçote.

Com quatro válvulas por cilindro, o propulsor da XJ6 N tinha 77,5 cavalos a 10.000 rpm e 6,08 kgfm a 8.500 rpm, além de injeção eletrônica de combustível e câmbio de seis marchas.

Tendo embreagem multidisco banhada a óleo, além de farol simples, mais freios a disco duplo na frente e simples atrás, com 298 mm na frente e 245 mm atrás, ambos com ABS.

Com rodas de liga leve aro 17 polegadas, a XJ6 N tinha pneus 120/70 R17 na frente e 160/60 R17 atrás, com suspensão traseira monoamortecida.

Seu tanque de 17,3 litros tinha o mesmo volume da CB650F e tinha ainda cluster análogo-digital com conta-giros de ponteiro e display para velocímetro, nível de combustível e computador de bordo.

Confortável e com bom desempenho, a Yamaha XJ6 N ia de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos e tinha máxima de 192 km/h.

O consumo era de 18 km/l na cidade e 21 km/l na estrada, tendo assim autonomia de 363 km na estrada e 311 km na cidade.

Suzuki Bandit 650 n

Também rival da Honda CB650F, a Suzuki Bandit 650 n tinha personalidade forte, apesar do visual antiquado, bem típico da década anterior.

A Bandit tinha um tanque volumoso de 20 litros, que tinha uma estranha extensão de carenagem nas laterais, além de painel com conta-giros analógico e display digital para nível de combustível e velocímetro.

Ela era bem pesada, chegando a 240 kg e sendo impulsionada por um quadricilíndrico de quatro tempos com refrigeração a água.

Com injeção eletrônica, esse propulsor rendia 85 cavalos a 10.500 rpm e 6,27 kgfm a 8.900 rpm.

O câmbio tinha seis marchas e a embreagem era multidisco em banho de óleo.

Tendo farol, lanterna e piscas com lâmpadas, a Bandit 650 tinha ainda escape longo com silencioso bem pronunciado, ainda que o coletor fosse quatro por um.

Tinha consumo de 18,8 km/l na cidade e 21,4 km/l na estrada, o que lhe garantia teoricamente 376 km de alcance na cidade e 428 km na rodovia.

A Suzuki ia de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos e tinha máxima de 193 km/h.

Kawasaki ER-6n

Ainda que tivesse dois cilindros em linha, a Kawasaki ER-6n é uma pretensa rival da CB650F e tinha visual expressivo, chamando atenção para o farol duplo vertical.

Também se destacava o quadro de duplo berço estilizado e pintado de preto brilhante, com amortecedor e mola traseiros, expostos lateralmente.

A balança de suspensão angulada e o tanque de 16 litros, a ER-6n tinha ainda versões com ou sem freios ABS, tendo rodas de liga leve aro 17 polegadas.

O escape curto e estilizado chamava atenção, assim como em forma de meia-lua com velocímetro analógico e display digital para conta-giros, nível de combustível e computador de bordo.

Os pneus eram 120/70 R$ 17 na frente e 160/60 R17 atrás, tendo freios a disco ventilados duplos na frente e simples atrás, com 300 mm e 200 mm, respectivamente.

Seu motor bicilíndrico de quatro tempos com refrigeração a água, além de duplo comando no cabeçote e mais quatro válvulas por cilindro, entregava bom torque.

Eram 72,1 cavalos a 8.500 rpm e 6,5 kgfm a 7.000 rpm, tendo câmbio de seis marchas.

A ER-6n ia de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos e tinha máxima de 200 km/h, pesando 204 kg ou 206 kg com ABS.

CB650F – fotos

imagem27-06-2022-07-06-08 imagem27-06-2022-07-06-09

COMPARTILHE

TwitterFacebookWhatsAppLinkedIn

Related Posts:

Compartilhe isso:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.