Estou em: Início / Volvo S60: confira o teste do sedan de R$ 169 mil

quarta-feira, 2 março, 2011 - 19:32

Volvo S60: confira o teste do sedan de R$ 169 mil

Sedan médio da marca sueca alia excelente motor V6 a muitos itens de segurança

Já foi o tempo em que as marcas “Premium” se destacavam pelo conservadorismo e tradição em seus lançamentos. E a Volvo é mais uma delas. Ontem, num evento descolado realizado no parque Hopi Hari ela lançou o S60 no Brasil, cujo mote é “O Volvo Atrevido”. Estivemos presentes no evento e conferimos porque o S60 é mais um representante de todo esse “atrevimento” da Volvo ao buscar novos mercados e novos consumidores, sem se perder de seus valores originais.

Tradicionalmente a Volvo sempre se destacou por sedans e peruas um tanto quadrados, que se destacavam como carros familiares quase perfeitos, com maior diferencial na segurança. Os carros da marca sempre eram geralmente vistos nos filmes guiados por pais e mães levando seus filhos à caminho da escola. O primeiro a quebrar isso foi o C30, cujo visual mudou os paradigmas da marca, especialmente com sua tampa traseira toda envidraçada, única num segmento novo para a volvo. O segundo a quebrar esse conceito foi o XC60, cujo visual ousado aliado ao preço vantajoso fez com que ele se transformasse num hit de vendas no Brasil. Agora é a vez do S60 quebrar esse paradigma entre os sedans da marca.

Não falta ousadia ao novo sedan: começa pela grade trapezoidal, nova referencia de estilo da marca, segue pelos vincos pelo capô que denunciam o caráter esportivo das linhas do carro. É um sedan, mas tem um aspecto de cupê. Faz parte da mesma escola do Mercedes CLS que está fazendo adeptos em todo o mundo. As janelas não são tão pequenas, como no sedã alemão, mas não são tão amplas como nos sedans tradicionais da marca. Na traseira há um quê de Audi A4, mas as lanternas acabam por avançar a lateral e, com isso, ganham personalidade e caráter próprio.

A esportividade também está presente debaixo do capô, com um motor de seis cilindos em linha, 3 litros, 304 cv e torque de 44,9 kgfm que, transmitido às rodas por uma tração integral All Wheel Drive, fazem o carro acelerar de 0 a 100 em 6,5 segundos. Desempenho além do que se espera para um sedan com proposta familiar, com sua velocidade máxima de 250km/h limitada eletronicamente. Mas haverá, também, duas opções de desempenho mais tímido: um 1.6 de 180cv e um 2.0 de 240cv.

Ousadia que também se transmite para o interior. Ainda que não tenha curvas e a inovação visual que se vê, por exemplo, num BMW, a parte interna do Volvo só pode ser chamada de tradicional por alguns dos traços retos e disposições comuns. O que não pode ser considerado ruim: todos os comandos estão onde se espera e são descomplicados de usar. No nosso contato, no entanto, ficamos devendo a análise do sistema de áudio e navegação, presentes na versão avaliada. Além do GPS, há também um DVD com tela de 7’’ e oito auto-falantes com quatro saídas principais de 40w e alta fidelidade. Essa tela se liga a uma câmera de ré no pára-choque traseiro e faz parte dos equipamentos de série do T5 (2.0) e T6 (3.0).

Depois de conhecer dentro e fora, chega finalmente a hora de virar as chaves. Mesmo que isso represente apenas uma metáfora: o chaveiro se encaixa no painel e há um botão para a partida. Os seis cilindros do Volvo roncam, mas não se ouve. O mérito para esse atributo está nos vidros laterais laminados, que não apenas são mais seguros por não se estilhaçarem, mas por vedarem muito bem o som. Rodando em baixa velocidade quase não se percebe o rodar do carro.

O percurso de alguns quilômetros pela rodovia dos Bandeirantes foi capaz de mostrar todo o atrevimento que nos prometiam desde o inicio: o Volvo acelera forte e não deixa a desejar quando o assunto é desempenho. Tudo isso auxiliado, ainda, pelos pneus e rodas de 18’’, que o transformam num carrinho de montanha russa quando o assunto é encarar curvas. Faltou atrevimento apenas no câmbio, que não tem a opção de mudanças seqüenciais. A Volvo divulga uma interessante marca de 10km/l de consumo, num misto entre cidade e estrada.

E, melhor do que acelerar, foi conhecer o funcionamento do piloto automático adaptativo. O nome não chega a fazer jus a tecnologia, que deveria se chamar piloto inteligente. Com ela, assim que se define a velocidade desejada para viajar na estrada, ele começa a realmente pilotar “enxergando” os veículos que estão à frente. O Volvo é capaz de reduzir a velocidade para seguir o fluxo, no mesmo ritmo. Assim que os carros à frente somem, ele volta ao ritmo normal determinado na programação.

Ele acelera, mas com segurança. Entre seus principais itens no quesito está o detector de pedestres. Uma câmera localizada no alto do vidro faz uma leitura constante das vias em velocidades mais baixas, até 40km/h. Em velocidades superiores ela continua a atuar, mas com maior assistência do motorista. No nosso trajeto ela detectou o pedestre com perfeição e fez o carro parar sem qualquer assistência do motorista, evitando o potencial atropelamento.

Outra tecnologia que foi demonstrada em seguida foi o City Safety, que também utiliza uma câmera para monitorar obstáculos diante do carro. Essa câmera está localizada na grade e tem a missão de prevenir que o carro atinja obstáculos inesperados. Ela atua, porem, em velocidades menores: até 25km/h. Acima disso sua eficiência é menor, minimizando os efeitos dos impactos.

Outra tecnologia do S60 é o sistema BLIS, que alerta sobre possíveis riscos em pontos cegos do carro. Ele só estará disponível na versão T6 (3.0). Já o piloto automático adaptativo e o detector para pedestres também estarão disponíveis na T5 (2.0), mas não na T4 (1.6).

O S60 será uma das principais armas da Volvo para sair das 2.200 unidades vendidas em 2010 para o patamar das 5.000 unidades planejados para 2011. A Volvo quer vender 1.500 deles e torná-lo um hit tão forte como o XC60. Um dos maiores apelos para isso é a tecnologia embarcada pelo convidativo valor de R$ 169.900 para a versão de seis cilindros. Não é barato, mas é menos do que os concorrentes cobram pelas suas versões equivalentes e já inclui um pacote muito completo de itens de série. Ainda não há preço definido para as versões 1.6 e 2.0, mas estima-se que vão custar consideravelmente menos. Quem apostar em valores na casa dos 120 a 150 mil tem boas chances de acertar.

Ao final, a Volvo conseguiu demonstrar com o S60 que é capaz de inovar no design e no conceito dos sedans sem fugir da sua tradição de estar um passo à frente da concorrência quando se trata de segurança. Num segmento onde a inovação e o caráter esportivo falam mais alto do que o luxo, a Volvo parece trilhar o caminho certo.

VEJA NOSSA GALERIA DE FOTOS

Texto e Fotos: Guilherme Lopes

" class="clear-block block block-image_pager">

Images