Estou em: Início / Segundo andar: sedãs compactos

domingo, 3 junho, 2012 - 18:15

Segundo andar: sedãs compactos

Vamos ao espaçoso segundo andar da categoria dos sedãs compactos

Por Bruno Sponchiado

Vamos ao segundo escalão dos sedãs compactos no Brasil, ou seja, o segundo andar da casa “triplex”, descrita no outro texto, que você pode ver AQUI. Esse andar é o mais festejado e mais destacado do mercado brasileiro nas últimas semanas, tudo por causa de alguns lançamentos importantíssimos. A faixa de preço? De 35 a 50 mil reais. O primeiro lançamento foi o Cobalt, ainda no fim de 2011, que trouxe muito espaço, com um esmero no acabamento, sob uma base inédita, marcando a renovação da Chevrolet entre os carros pequenos e que “criou” essa subcategoria. Em seguida, veio o Nissan Versa, aliando espaço a um bom conjunto mecânico, com preço camarada. Por fim, no último mês de abril, chegou o Grand Siena, que, de tão diferente, ganhou “ante-nome” pomposo e indicando sua principal mudança: ficou grande. Enfim, estes três disputam o consumidor que busca espaço com uma certa dose de conforto e status, disposto a gastar um pouco mais de 40 mil reais em um seda. Ainda temos quatro outros concorrentes, um pouco esquecidos, é verdade, mas que também reúnem qualidades, cada um em seu canto: Renault Symbol, Nissan Tiida Sedan, Peugeot 207 Passion e JAC J3 Turin.

7º LUGAR - PEUGEOT 207 PASSION  - (XR 1.4, XRS 1.4, XS 1.6 16v, XS 1.6 16v AT)

Mesmo sendo razoavelmente barato, podendo ser encontrado por 34 mil reais, o 207 Passion amarga sim a última posição do comparativo. Razões não faltam. Seu espaço interno combina o aperto do hatch com o caimento de teto dos sedãs, acarretando em um ambiente muitíssimo aconchegante (dica: se um amigo seu tem um 207, pega uma carona com ele e pede para ele levar aquela amiga dele; vão vocês dois atrás e sairão de lá íntimos). O projeto vem de 1998, com uma bunda “colada”, um projeto iraniano, de design muito contestável, sem contar nos motores, ásperos e de consumo elevado. Vem completo e oferece airbag duplo como opcional, mas nem assim consegue agradar. O acabamento é O.K e a qualidade de construção nos faz sentir saudades do velho 206 Rallye 1.6 16v francês – piorou muito desde 2008, quando virou 207. Mas, tem bom preço e isso às vezes é o que mais conta. Agrada principalmente donos satisfeitos de 206/207 Hatch. E só.

MELHOR OPÇÃO

A única exclusividade do modelo é o câmbio automático de 4 marchas (“””””””Porsche”””””””), a partir de 44 mil reais. Vem com ar digital, rodas aro 15, entre outros itens. Caso queira realmente o Peugeot, leve o automático.

6º LUGAR – NISSAN TIIDA SEDAN (1.8)

O Tiida Sedan chegou ao Brasil como forma de desovar o estoque do modelo nos EUA. Isso todo mundo sabe. Nem um ano depois de lançado no Brasil, foi descontinuado na Terra do Tio Sam, substituído pelo nosso Versa (o hatch, mais caro, permaneceu em linha). E por isso fica na sexta posição. A “beleza” também não agrada, mas, tirando estes dois aspectos (mercado e design), o mexicano é um belíssimo carro. Espaçoso como um carro médio (inclui-se o porta-malas na conta), o Tiida Sedan custa módicos 42 mil reais e inclui na lista de itens de série a direção elétrica, o trio elétrico, o ar condicionado e o rádio CD Player-MP3. Ah, já ia esquecendo: e o excelente motor 1.8 16v de 126 cavalos que, acoplado à caixa manual de seis marchas, traz desempenho louvável ao feio sedã. O acabamento é ruim nos Estados Unidos, ou seja, bom para os padrões brasileiros e o rodar é sólido, fruto de uma rigidez torcional de carro médio. Bom, é isso: um bom carro feio, eis o Tiida Sedan, que vive seus últimos dias de mercado. Até o fim do ano ele sai de linha.

MELHOR OPÇÃO

Coloque o airbag duplo no mexicano, por mais mil reais e você terá um belo carro (por dentro). Bom para a cidade, bom para a estrada, bom para os passageiros. Só fraquíssimo de mercado e de espelho. Aí vai de você. 43 mil reais com três anos de garantia.

5º LUGAR - RENAULT SYMBOL (Expression 1.6 16v, Privilège 1.6 16v)

Lembra do Clio Sedan, finado em 2008 com a chegada do Logan? Pois bem, o Symbol não é nada mais do que o Clio Sedan maquiado. E isso tem dois lados, um bom, um ruim. Comecemos pela parte negativa. O projeto é inegavelmente antigo, com um carro mais baixo, resultando em espaço interno péssimo para cabeças e para ocupantes com mais de 1,80m de altura. O fato de ser um carro antigo também não ajuda no ranking de vendas: o Symbol amarga as últimas posições da tabela, sendo até um objeto raro no tumultuado trânsito das grandes cidades. Porém (aiiiii porém), o fato de ser um Clio Sedan acarreta em alguns elogios: acabamento interno acima da média (versão Privilége), com um veludo bom de tocar, porta-malas absurdamente grande e desempenho eficiente (motor 1.6 16v). O preço é camarada: por 34 mil (IPI reduzido) pode se encontrar a versão de entrada, que vem com airbag duplo e o trivial (ar, direção, duo, rádio). Ainda tem um ano de mercado, ou até mais, mas, indiscutivelmente, é um mico de mercado, mesmo com suas qualidades. Ah, tem três anos de garantia.

MELHOR OPÇÃO

Se você vai pagar o mico, pague-o com ar digital, comando de som no volante, acabamento em veludo e rodas de liga leve. Por 39 mil se acha uma unidade nestas condições. Eu pagaria.

4º LUGAR – JAC J3 TURIN

O loco meu! Essa fera aí tem um belo custo/benefício! Quem sabe faz ao vivo! Deixando de lado o “faustãonês”, língua do garoto-propaganda e acionista da JAC Motors no Brasil, o sedãzinho chinês agrada quem não entende e/ou de carro e quer muito mais por menos. Por 36.990, o J3 Turin vem com airbag duplo, freios ABS com EBD, ar condicionado, direção hidráulica, trio elétrico, faróis de neblina, rádio CD/MP3 e rodas de liga leve. Um belo pacote de equipamentos. O acabamento é o melhor dos chineses pequenos e encanta com bons bancos de veludo. A mecânica é um 1.3 16v com 106 cavalos que garante desempenho adequado ao carro, mesmo com ele cheio e com ar ligado. Em termos de espaço, se equivale a um Voyage, até no porta-malas. A garantia é de seis (!!!!!!!) anos de garantia, inédito no Brasil e a rede de concessionárias vem fazendo sucesso. Entretanto, com todas essas qualidades, o J3 Turin ainda é um chinês e ainda sofre com muito preconceito, o que implica em desvalorização acentuada. Agora para quem busca itens de série com pouco dinheiro, é opção sem igual no segmento (e no mercado).

MELHOR OPÇÃO

Versão única.

3º LUGAR - CHEVROLET COBALT (LS 1.4, LT 1.4, LTZ 1.4)

O carro que inaugurou o andar do meio dos sedãs compactos (o mais espaçoso e com um pouco mais de status), o Cobalt é um sucesso: até o fim de abril foram mais de 20 mil unidades vendidas, isto somente com um motor e três versões de acabamento. Tem cara de Agile, mas esqueça a remenda do Celta vendida por 40 mil reais. Muito espaçoso, confortável e bem acabado, o Cobalt tem porte e rodar de carro médio. Com plataforma nova, foi o primeiro carro lançado da “nova” GM. Moderno, bem construído, só peca em um aspecto: motor. O 1.4 Econo.Flex, com 105 cavalos no álcool é pouco para o pesado sedã. Na cidade, até que dá para levar: pisa-se fundo e trocam-se as marchas. Agora na estrada, com carro cheio e ar ligado, é quase um 1.0. Merecia no mínimo um 1.6 (a ser lançado no Sonic, agora em junho). De resto, muito espaço e confiabilidade mecânica. Partindo de 37 mil reais com ar condicionado e direção hidráulica, chega aos 44 mil com trio elétrico, som, rodas e airbag duplo com freios ABS. Razoável. Faz sucesso entre os taxistas e quem é fã da GM e busca um carro para a família. Uma versão 1.8 (motor de Monza, infelizmente), vem aí, com câmbio automático. Mas o preço deve passar os 50 mil, inviabilizando sua compra. Uma pena. Medalha de Bronze.

MELHOR OPÇÃO

A intermediária LT, por 41 mil reais, é a melhor opção: une o interior completo com o exterior que deve rodas e faróis de neblina ao modelo de topo. Nada mal.

2º LUGAR - NISSAN VERSA (S 1.6, SV, 1.6 e SL 1.6)

O Versa nasceu como um carro compacto para mercados emergentes e desenvolvidos. Isto é, tem aspectos positivos e negativos. Tem espaço e preço para países em desenvolvimento, mas também tem boa mecânica e qualidade de construção para o Primeiro Mundo. Porta de entrada da Nissan dos Estados Unidos, o mexicano veio para o Brasil ganhar a Classe B, na faixa de 35 a 45 mil reais. Atributos ele tem: espaçoso (eu, que tenho 1,88m, consigo cruzar as pernas atrás), com boa mecânica (1.6 16v) e bem equipado de série, com direção elétrica, airbag duplo e com rádio, trio elétrico e ar condicionado na versão topo de linha (SL). Entretanto, o acabamento é simples, honrando a ascendência – o popular March, que custa 24.990 reais. Faltou sal no Versa. É um excelente carro compacto, que vale o dinheiro investido, mas, faltou o “tchan”, como falta no Logan, mais simples ainda. Tem três anos de garantia e revisões a preço fixo, o que é bom. É aquela garota nota 7, inteligente, fiel e discreta, mas que não te chama atenção. Fica com o vice.

MELHOR OPÇÃO

Invista na mais cara (SL), que acrescenta rodas de liga leve, faróis de neblina e um quadro de instrumentos mais bonito. 41 e uns quebrados.

1º LUGAR - FIAT GRAND SIENA  (Attractive 1.4, Essence 1.6 16v, Essence 1.6 16v Dualogic, Tetrafuel 1.4 Evo)

A Fiat não é boba. Líder de mercado desde 2001, quando tirou a histórica liderança da Volkswagen, a italiana sediada em Betim (MG) capta rapidamente as tendências do mercado e em uma jogada de mestre lança no mercado o modelo que o público quer. É o caso do Grand Siena. A quinta geração do Palio em versão sedã, passa longe do hatch popular: ganhou até sobrenome pomposo. Perfeito para quem busca espaço e status em doses compactas e tragáveis, o sedã Fiat vem com um excelente pacote de equipamentos de série, um exterior agradável e um interior bem acabado e interessante. Tudo isso com um motor moderno e com bom rendimento a preços de geração antiga (e velha). Partindo de 36 mil reais, com motor 1.4, o Grand Siena deve fazer frente ao Cobalt no topo do segmento. Corrigindo as falhas e mantendo as qualidades do antigo, o novo Siena vem competitivo em um segmento mais competitivo ainda. A ressalva vai para a garantia de apenas 1 ano. De resto, o carro a ser batido: tem espaço, desenho, motor, preço, confiabilidade, mercado e status. O que falta nos concorrentes. O vencedor.

MELHOR OPÇÃO

Por 40 mil reais com ar, direção, trio elétrico, faróis de neblina, rodas aro 16 e motor 1.6 16v, a versão Essence é uma das melhores compras do mercado brasileiro.

" class="clear-block block block-image_pager">

Images