Estou em: Início / Lideres do semestre

sexta-feira, 15 julho, 2011 - 23:22

Lideres do semestre

Ranking reune familias de carros de todos os segmentos

Não houve alterações de peso na liderança das 15 categorias em que a coluna divide o mercado interno. Dois novos líderes, no entanto, apontam que as marcas sul-coreanas ainda avançam sobre adversários de longa tradição. São os casos do Hyundai Azera, entre médios-grandes, e do Kia Cadenza, entre os grandes. De fato, não se trata de marcas premium e caras, como Audi, BMW e Mercedes-Benz, mas se apresentam como alternativas.

Os segmentos de stations (peruas) pequenas e de monovolumes médios foram os únicos que deixaram de acompanhar a expansão das vendas, perdendo participação de mercado. A falta de novidades é uma das razões, mas os compradores também mudaram suas preferências. Essa mobilidade se deu na direção de sedãs, utilitários esporte e monovolumes de menor porte.

Hatches e sedãs compactos juntos continuam a representar 60% das vendas de automóveis e comerciais leves, com mais de 30 modelos em oferta. Separando o subsegmento de hatches, o Gol G5/G4 mantém-se à frente da dupla Uno/Mille, apesar do sucesso do novo Uno. Ao final deste primeiro semestre os dois modelos alemães somados tinham vendido 9% a mais que a dupla italiana. O Mille representa 40% das vendas do Uno e o G4, 20% dos Gols. Então nessa disputa separada, o veterano da Fiat leva a melhor.

O ranking da coluna Alta Roda, compilado por Paulo Garbossa, da ADK, usa critérios técnicos diferentes de outras segmentações. A classificação é por percentual baseado nos emplacamentos e aponta apenas modelos mais representativos.

Compactos: Gol/Voyage, 19%; Uno/Mille, 14%; Celta/Prisma, 10%; Palio/Siena, 9,9%; Corsa hatch/sedã/Classic, 8%; Fiesta hatch/sedã, 7%; Fox/CrossFox, 6%; Logan/Sandero, 5%; Agile, 3,7%; Ka, 3,3%; 207 hatch/sedã, 2,8%; Punto/Linea, 2,3%; C3, 2%; Clio/Symbol, 1,8%; City, 1,5%; Polo hatch/sedã, 1%. Gol/Voyage ainda mais firmes.

Médios-compactos: Corolla, 16%; i30, 12%; Focus hatch/sedã, 10%; Cerato, 8,5%; Vectra hatch/sedã, 8,3%; Astra hatch/sedã, 8,27%; Civic, 7,87%; Golf/Bora/Jetta, 7,85%; C4/Pallas, 6%; Bravo, 3,3%. Corolla ameaçado pelo i30.

Médios-grandes: Azera, 26%; Fusion, 24%; Sonata, 14%; Mercedes C, 12%. Azera virou o jogo.

Grandes: Cadenza, 34%; Omega, 24%; BMW 5/6, 20%; Mercedes E/CLS, 18%. Surpreendente, o Cadenza.

Topo: Panamera, 56%; Mercedes S/CL, 21%; Audi A8 e Bentley, 6%. Panamera domina.

Stations pequenas: Palio Weekend, 44%; SpaceFox, 40%; Parati, 9%. Weekend agora sob ameaça.

Stations médias: Mégane Grand Tour, 52%; i30 SW, 31%; Jetta, 13%. Preocupação para a Grand Tour.

Monovolumes pequenos: Fit, 25%; Idea, 18%; Meriva, 16%. Fit menos tranquilo.

Monovolumes médios: Picasso Xsara/C4, 58%; Zafira, 33%; Mercedes B, 5%. O líder amplia.

Picapes pequenas: Strada, 48%; Saveiro, 29%; Montana, 18%. Pequena queda da Strada.

Picapes médias: S10, 32%; Hilux, 23%; L200/Triton, 17%. Sem ameaça à S10.

Utilitários esporte pequenos: EcoSport, 29%; Tucson, 11%; CR-V, 10%. EcoSport se fortaleceu.

Utilitários esporte médios: Captiva, 28%; Sorento, 16%; Santa Fe, 14%. Sorento subiu rapidamente.

Utilitários esporte grandes: Pajero Full/Dakar, 30%; Discovery, 16,7%; Veracruz, 16,2%. Discovery reagiu.

Esporte: Camaro, 48%; BMW Z4, 10%; Mustang, 9%. Camaro continuou subindo.

RODA VIVA

BOA NOTÍCIA
: a BMW escolheu o Brasil e não o México para construir sua nova fábrica de automóveis prevista para a América Latina. Audi e Mercedes-Benz já tiveram produtos produzidos aqui, mas as operações não prosperaram. Local, modelo e investimento a anunciar pela filial brasileira.

PRIMEIRO semestre fechou com vendas 10% superiores ao mesmo período de 2010, mas com aumento dos estoques de 30 para 33 dias. Para chegar aos 5% de crescimento previstos pela Anfavea em 2011, a comercialização não deveria crescer no segundo semestre. Associação das concessionárias (Fenabrave) apontou outra direção: 7% a 8% a mais sobre 2010.

TAMBÉM a Abeiva, que reúne importadores sem fábrica no Brasil, reviu seus números para cima. De 165.000 unidades projeta agora 185.000 unidades em 2011. Retirando-se Argentina e México, cujos produtos não recolhem imposto de importação, associados da Abeiva importaram 33% mais veículos que os fabricantes da Anfavea.

VISIBILIDADE, espaço interno e linhas harmoniosas marcam o C3 Picasso. Sem os apêndices, o peso adicional e a altura de rodagem maior da versão Aircross, o mais moderno monovolume compacto do mercado se destaca pela agilidade no trânsito urbano. Em estrada, porém, o câmbio curto obriga o motor a trabalhar em regimes mais elevados e, assim, menos silencioso.

PETROBRÁS tem plano ambicioso de controlar, em operações de produção petrolífera, as emissões de gás carbônico, o CO2 responsável por parte do efeito estufa na atmosfera. Investimento é de US$ 1,2 bilhão. Mas, a utilização do petróleo nos transportes e em outras atividades continuarão como forte emissor de CO2.

Fernando Calmon é jornalista especializado desde 1967, engenheiro e consultor técnico, de comunicação e de mercado. Escreve todas í s terças-feiras para o AutoDiário.

Images