Estou em: Início / BMW Série 7 tem mudanças na linha 2012

sexta-feira, 25 maio, 2012 - 16:18

BMW Série 7 tem mudanças na linha 2012

Retoques são sutis, mas atualizam o visual do modelo

 

Enquanto a Mercedes-Benz testa a nova geração do Classe S, a BMW reestiliza ligeiramente o Série 7 para se reforçar no segmento. Com as modificações, o sedã ganhou aspecto mais dinâmico e melhorias no acabamento. O topo-de-linha recebeu ainda mecânicas revistas e novos equipamentos.

Na parte estética, há alterações sutis pela carroceria, como nos para-choques. O destaque vai para os farois compostos por LED, utilizados para fachos baixo e alto. Nos equipamentos, a novidade é o novo quadro de instrumentos e uma tela central colorida com projeções 3D. Há sistema multimídia com telas posteriores, projetor de informações no para-brisa (Head Up Display), sistema de visão noturna, assistência de estacionamento e ajuste automático de facho.

Mecanicamente, a inovação mais significativa é a adoção de amortecedores magnéticos na suspensão traseira em todas as versões. O equipamento é controlado por central eletrônica, a fim de garantir a atuação íntegra das duas rodas. Também foram feitas alterações nos sistemas de frenagem e direção e no controle de estabilidade (ESP).

Já na gama de motores, o Série 7 se destaca pelos propulsores mais eficientes. Eles ficaram mais econômicos e menos poluentes graças a sistemas como o de recuperação de energia cinética (Kers) e o de desligamento do motor em paradas (Start&Stop), além da revista transmissão automática de oito relações.

O propulsor de destaque da linha 2012 é o 3.0 de 381 cv e 75,4 kgfm da versão 750xd, o mesmo usado pelo Série 5 (550d), estreando também a nova versão. Com ele, o sedã acelera de 0 a 100 km/h em 4,9 segundos, fazendo médias de 15,1 km/L e chegando a limitados 250 km/h. As emissões ficam em 169 gramas de dióxido de carbono (CO2) por quilômetro percorrido.

Além dele, a gama a diesel possui outras duas opções: 3.0 de 258 cv e 57,1 kgfm (730d) e 3.0 de 313 cv e 64,3 kgfm (740d). Ambos chegam a 250 km/h, com o primeiro acelerando de 0 a 100 km/h em 6,1 segundos, contra 5,5 s do segundo. O mais potente faz médias de 149 g/km de CO2 e 17,3 km/L, contra 148 g/km e 17,2 km/L do menos forte.

A linha a gasolina possui outras três opções. O 740i tem um bloco 3.0 de 320 cv e 46,1 kgfm. Ele acelera o sedã de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos, com médias de 12,9 km/L e 184 g/km. O 750i usa um 4.4 V8 de 449 cv e 66,3 kgfm, com 0-100 km/ em 4,8 s, 11,8 km/L e 199 g/km. Já o top 760i usa o 6.0 de 544 cv e 76,5 kgfm, com 4,6 segundos, 12,8 km/L e 299 g/km. Vale lembrar que ainda há o ActiveHybrid7, que combina o 3.0 de 320 cv a um elétrico com 55 cv e 21,4 kgfm, totalizando 354 cv. Ele chega a 250 km/h como toda a linha a gasolina, fazendo de 0 a 100 km/h em 5,7 segundos. O consumo fica em 14,8 km/L, com emissões em 158 g/km.

Vendido também em carroceria alongada, o Série 7 2012 conta ainda com opção de tração integral (de série no 750xd). Ele chega às lojas europeias em setembro.

Texto: Matheus Q. Pera

 

Veja mais notícias da seção

" class="clear-block block block-image_pager">

Images