Estou em: Início / Citroën Elysée

sexta-feira, 14 julho, 2006 - 07:43

Citroën Elysée

Modelo é unico para o mercado local

Segunda-feira, publicamos a foto de um estranho Citroën com a carroceria do Peugeot 206. Ou de um estranho Peugeot 206 com faróis e grades modernos da linha Citroën. Possivelmente será a entrada da marca francesa no segmento de compactos no mercado daquele país asiático, pois no site local da empresa (www.citroen.com.cn) ainda não consta nenhum modelo pequeno. Comentamos que seria uma solução barata para produzir um compacto, pois o projeto do C2 e do C1 são muito caros, ao contrário de projetos antigos, já amortizados, e com maquinário muitas vezes prestes a ser abandonado. Por aqui também já aconteceu isso, algumas vezes. A Fiat, logo após ter encerrado a produção do Fiat Tipo na Europa enviou o maquinário para o Brasil, onde o modelo teve uma sobrevida. O C3 deverá chegar lá até o fim do ano, ocupando um segmento superior ao deste modelo derivado do 206. O que pode parecer uma estranha adaptação para nós, na China é muito bem aceito – tanto que são aprovados nas "clínicas" (apresentação para medir a aceitação dos automóveis) normalmente realizadas para se introduzir os modelos em novos mercados. É impressionante a criatividade da Citröen chinesa, já que eles criaram a imprevisível versão três volumes do C4 (o C-Triomphe), modelo que será produzido na Argentina e virá para o nosso mercado. O próprio Peugeot 307 Sedan, que chegará ao nosso mercado nos próximos meses, também nasceu lá. Um leitor citou uma versão três volumes do antigo ZX com frente inspirada no Xsara, antecessores do C4. Fizemos uma busca no site chinês da Citroën e descobrimos o estranho sedã: é o Elysée. De lado, lembra um pouco o Xantia e o Renault 21, a traseira remete ao Tempra. As lanternas quadradas são do hatch ZX, que ainda é vendido por lá com o nome de Fukang ou FK. O painel foi herdado do Xsara. O Elysée é vendido em quatro versões de acabamento: X, SX, VIP e até a esportiva VTS, que pode ser adquirido até com o estofamento rosa nos bancos. Todas têm o motor 1.6 a gasolina. Apenas o X tem oito válvulas e 87 cavalos de potência. As demais têm 16v com 106 cv. SX e VIP (luxuosa e longa) podem ter câmbio automático.

 

Mesmo na versão básica X ele é bem equipado e oferece de série ar condicionado, vidros elétricos na frente, direção hidráulica, travas elétricas das portas sem controle remoto, air-bag para o motorista, cintos de segurança com regulagem de altura e freios ABS. Outros equipamentos como CD-Player, retrovisores elétricos, vidros elétricos nas portas de trás, trava elétrica com controle remoto, airbag para o passageiro e EBD nos freios são disponíveis para as versões mais sofisticadas. O Elysée é trinta centímetros (4,3m) maior que o FK, compartilhando a mesma distância entre-eixos e praticamente a mesma largura (1,70m), mas é aproximadamente 1 centímetro mais baixo. A versão VIP tem 4,50m e distância entre-eixos de 2,70m. O terceiro volume dá ao porta-malas uma capacidade de 437 litros, 113 a mais que o hatch. Segundo o site da Citroën chinesa, além do Elysée e do FK (ou Fukang), são comercializados os conhecidos C5, Xsara e Xsara Picasso. Além do C3, o C4 Coupé e sua esperada versão sedã C-Triomphe também já são anunciados. O mercado chinês está passando por uma fase de renovação, principalmente devido ao fato de estar se tornando um polo exportador de automóveis.

Trazer um modelo desses para nós provavelmente está fora dos planos da Citröen. A empresa, dentro do grupo PSA, sempre buscou um consumidor diferenciado, e preza por sua imagem de empresa inovadora no Brasil. Não está nos planos produzir um modelo para competir com modelos também já defasados no nosso mercado.
Texto: Gustavo Carmo Fotos: Divulgação Agradecimentos: Rafael Lima e Fernando Pedroso Informações: Web-Site Citroën-China
 
 
 
 
 
 

" class="clear-block block block-image_pager">

Images